sexta-feira, 7 de julho de 2017

Chuvas: alunos da zona rural enfrentam perigo em caminhão pau de arara

Estudantes registram momento em que veículo atola e depende de motorista, alunos e trator para seguir viagem. Confira as imagens!




Com o período chuvoso, o perigo nas estradas rurais para quem depende de caminhão “pau de arara” só aumenta. Alguns alunos registraram, na tarde dessa quinta-feira (06), a dificuldade que o transporte escolar enfrenta para subir ou descer ladeiras em meio à lama na zona rural de Santana do Mundaú.

Os estudantes gravaram os vídeos quando estavam a caminho da escola e mostraram à direção da Escola Estadual Manoel de Matos. "Isso preocupa porque os nossos alunos - tanto da rede municipal quanto da estadual - estão arriscando a vida para ter um futuro melhor", disse a diretora adjunta, Lúcia Lourenço.

Motorista tenta desatolar pneus em meio à lama (Foto: cortesia)
Nas imagens, é possível ouvir os relatos dos estudantes que são obrigados a descer do transporte enquanto o motorista tenta se livrar da lama com ajuda de uma enxada. "Gente, olha a situação em que Santana do Mundaú está: alunos tendo que descer do carro para empurrar o caminhão e o motorista arrastando terra. É uma situação precária. Hoje foi um dia de andar a pé em vão, infelizmente”, lamenta uma aluna.

Chuvas tem provocado lamas em
estradas vicinais (Foto: cortesia)
O vídeo mostra o caminhão que realiza o transporte dos jovens e adolescentes dos sítios Ramos, Minas, Três Paus, Laranjeiras e Brenhas. O veículo desliza entre às lamas, fica atolado e encostado na barreira. Foi preciso até contar com ajuda de um trator para a viagem prosseguir. Alguns alunos observam a situação de forma humorada.

“Não tem previsão para chegar à escola. Se Deus quiser, hoje a gente vai para a escola, nem que seja de trator”, brinca a aluna. No momento em que o caminhão sai da lama, os estudantes comemoram: “E a história acaba tendo final feliz: o caminhão sai do atoleiro e alunos vão para escola”, registra a jovem.

Ao Mundaú Notícias, o secretario de Transporte de Santana do Mundaú, Otávio Marques, disse que o problema é antigo nas estradas vicinais e que a nova gestão encontrou dificuldades para prevenir a situação. 


Trator de agricultor tenta puxar
caminhão (Foto: cortesia)
“Quando assumimos, os veículos do município estavam sucateados e quando conseguimos consertá-los já foi no início do inverno. Mesmo assim, estamos tentando amenizar a situação ‘pissarrando’ estas estradas, mas as chuvas intensas e quando o carro passa acabam com tudo”, informa o secretário. “É da natureza e só resta aguardar que estie para poder começar tudo de novo”.

O titular da pasta também garante que no próximo inverno a situação não seja grave novamente. “A gente está se preparado para renovar todas as estradas do município no início do verão para que no próximo inverno isso  não aconteça, ou, se acontecer, que seja de uma intensidade leve, porque a gente sabe que com a chuva na estrada de barro há sempre dificuldade", afirma.

Secretaria argumenta que trabalhos tentam amenizar a situação,
mas que chuvas atrapalham (Foto: Divulgação / PMSM)

Sobre a ausência de ônibus escolar, Otávio explica que o uso do veículo é inviável: “Os ônibus que temos não sobem de maneira alguma nessas estradas. Então, por isso, a gente manda caminhão F4000”.

Por: Thiago Aquino
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Um comentário:

  1. Eu sei que estão tentando consertar as estradas. E que as chuvas estão acima do esperado. Contudo o propósito do material usados que. A pissarra! È enapropriado para esta epoca pois ele absorve água o certo eram cascalho ou outro material

    ResponderExcluir

Queridos internautas, não aceitamos em hipótese alguma comentários que ofendam a moral de ninguém, pois o portal é um espaço de informação e comunicação, a nós cabe apenas informar de um jeito honesto e igualitário para todos, obrigado pela compreensão!
Após escrever seu comentário, na opção "Comentar como:" escolha a opção NOME/URL para facilitar. Preencha só o campo NOME, escrevendo seu nome. Agradecemos o comentário!