segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Água tratada em Santana do Mundaú é desperdiçada

Moradores utilizam a água tratada para lavar calçadas e molhar a rua 

Vista Parcial da E.T.A.

A Cidade de Santana do Mundaú possui uma Estação Convencional de Tratamento de Água que é administrado pela prefeitura. O Sistema de Tratamento de Água do Município foi concebido mediante convênio da Prefeitura Municipal com o Ministério da Saúde (FUNASA) e inaugurado em 07 de julho de 2003.  Foi uma grande conquista para a população que antes utilizava água de cacimbas sem qualquer tratamento, colocando sua saúde em risco e aumentando a possibilidade de adquirir uma doença grave por meio do consumo de água não tratada.

A Estação de Tratamento de Água, tecnicamente denominada de ETA, é composta por um conjunto de estruturas, equipamentos e produtos químicos que visam adequar às características (parâmetros) físicas, químicas e microbiológicas da água retirada da natureza “água bruta” a Legislação do Ministério da Saúde, Portaria nº 2.914 de 11 de dezembro de 2011 (esta substituiu a 518 de 2004) que dispõe sobre os procedimentos de controle e de vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade, de forma que após o tratamento a água não ofereça riscos à saúde pública.

O consumo médio de água por habitante por dia varia principalmente de acordo com nível sócio econômico da população, clima e seus hábitos. No Brasil, segundo HELLER & PÁDUA (2010) é adotado como consumo de água necessário para uma vida confortável numa residência, de 150 a 200 litros por pessoa por dia. Embora, dados de Companhias Estaduais de Abastecimento apontam um consumo médio no País de 149,4 litros por habitante por dia. Ressaltam como estados de maior consumo Rio de Janeiro, Distrito Federal e Espírito Santo (266, 206, 210 litros por habitante dia, respectivamente), e como de menor consumo Amapá, Piauí e Pernambuco (18, 73, 76 litros por habitante dia, respectivamente). O estado de Alagoas apresenta em média um consumo de água de 120 litros por habitante dia.

Especificamente o Município Alagoano de Santana do Mundaú, apresenta um consumo de 288,44 litros por habitante por dia. Conforme dados obtidos in loco na Estação de Tratamento de Água do município que vem tratando uma vazão de 34 litros por segundo de água bruta, para atender uma população urbana segundo o IBGE (2010) de 5.658 habitantes, e considerando os coeficientes do dia de maior consumo e da hora de maior consumo (utilizados para o dimensionamento de sistemas de abastecimento de água). Porém, segundo a Organização Mundial da Saúde, para levar uma vida saudável o consumo mínimo de água potável diário deveria ser de 50 litros.

Portanto, é salutar destacar que no município apresenta um consumo diário de água equiparado ao (Rio de Janeiro) estado brasileiro quer libera o maior consumo.

Acredita-se que tal fato esteja ligado aos hábitos da população habituada com a abundância de água (esquecendo-se que a água proveniente da ETA, tem um valor agregado ser tratada) aliado ao fato de não haver pagamento do produto disponibilizado, sendo fornecida gratuitamente a população. Tal circunstância tem levado ao uso indevido.

O desperdício é notório quando se observa principalmente em períodos de temperatura elevada, vários moradores utilizando a água tratada para lavar calçadas e molhar a rua, buscando reduzir os efeitos da temperatura elevada. Além de utilizarem água tratada para lavar seus carros e para vários outros usos indevidos.

É importante ressaltar que o fato de desperdiçar água influencia totalmente a dinâmica natural da água na Bacia do Rio Mundaú, pois com a grande utilização de água, necessita que mais água precise ser capitada para o tratamento, deixando de alimentar o curso principal do rio, com isso o nosso audacioso Rio Mundaú sofre, contribuindo para a redução de sua vazão, e conseqüente interferindo na diluição e transporte de despejos de esgotos domésticos, ocasionando a mortandade de peixes e desemprego para os pescadores uma vez que em nossa cidade ainda não há Sistema de Tratamento de Esgotos.

Portanto, para mudar essa realidade deve-se urgentemente a gestão municipal juntamente com a autoridade municipal de saúde pública implementar um programa de conscientização sobre a utilização da água tratada e sobre a conservação dos recursos hídricos que alimentam o  Rio Mundaú. A população tem que ser conscientizada da importância do uso racional da água que chega a sua torneira e evitar talvez com isso que o pagamento pela utilização da água venha a ocorrer, como justificativa de reduzir o desperdício de água pela população.

Também é importante esclarecer que o Rio Mundaú historicamente vem sendo degradado com o despejo de lixo, esgotos, e o mais preocupante é a recentemente a extração irracional de areia nas margens e no interior do rio, destruindo a vegetação ciliar, causando erosão e carreamento de sedimentos, promovendo o assoreamento do corpo hídrico. A união destes fatos pode levar a danos irreversíveis ao Rio Mundaú, podendo contribuir para potencializar episódios drásticos recentemente vivenciados pela população.



Autores:
M. Sc. José Thales Pantaleão Ferreira1
Elvis Pantaleão Ferreira2
1Doutorando: Solos e Nutrição de Plantas pela Universidade Federal do Ceará.
2Especialista em Eng. Ambiental e Tecnólogo em Saneamento Ambiental.

Referência bibliográfica:
HELLER, L., PÁDUA, V. L. (organizadores) – Abastecimento de Água para Consumo Humano. 2º edição. Rev. e atual. Belo Horizonte: 2 v. 481p. 2010.
Ministério Saúde, Portaria nº 2.914 de 11 de dezembro de 2011. Disponível em < http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/port_2914_qualidade_h2o.pdf. Acesso em 31 de Dez. de 2011.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

3 comentários:

  1. Infelizmente o poder público ver o fato de cobrar água aqui em mundaú como uma forma de não perder voto, cobrar a tarifa de água não só é o certo pois a água é tratado com dinheiro público, como seria uma forma de evitar esse desperdicio terrivel que acontece em nosso municipio. A senhora dona Lia, esposa de Zé maria do Supermercado, todos os dias acredito que por 3 ou 4 vezes ao dia esbanja agua na frente de seu estabelecimento, e outros tambem. claro que lavar uma calçada por vez ou outra nao é proibido, mas todos os dias disperdiçando agua isso é uma vergonha,e se a gente for falar é capaz de levar uma surra. Senhores vereadores façam alguma coisa. pensem nos seus netos!!!!

    ResponderExcluir
  2. Parabenizo o Thales e o Elvis, significante reportagem. Por tamanho conhecimento a respeito da importância da água e o seu consumo. O mundaunoticias, ao publicar está matéria sobre a questão da água, cumpre mais uma vez o seu papel:jornalismo com responsabilidade.

    ResponderExcluir
  3. Parabéns ao Portal de Notícias de Santana do Mundaú - mundaú noticias, pelas sempre relevantes reportagens que são divulgadas. Como esta última contribuição vinda de jovens profissionais de nossa Terra.

    ResponderExcluir

Queridos internautas, não aceitamos em hipótese alguma comentários que ofendam a moral de ninguém, pois o portal é um espaço de informação e comunicação, a nós cabe apenas informar de um jeito honesto e igualitário para todos, obrigado pela compreensão!
Após escrever seu comentário, na opção "Comentar como:" escolha a opção NOME/URL para facilitar. Preencha só o campo NOME, escrevendo seu nome. Agradecemos o comentário!