terça-feira, 3 de maio de 2011

Onde estão os R$ 450 milhões das enchentes de 2010?

Para onde foi o dinheiro das enchentes registradas em junho do ano passado em Alagoas? O assunto foi levantado pelo deputado Judson Cabral (PT)- da oposição- ao deputado João Henrique Caldas (PTN)- que disse levar o assunto ao Governo- mais especificamente a Secretaria de Infraestrutura. 

A oposição quer saber quanto veio do Governo Federal e quanto o Governo do Estado aplicou nas cidades atingidas pela tragédia. 

Uma pesquisa realizada pelo site Repórter Alagoas mostra que a União liberou R$ 450 milhões, em 2010 - sem contrapartida local - para os cofres do Governo estadual. Em pleno período eleitoral, R$ 250 milhões vieram em duas parcelas - direto para a Secretaria de Infraestrutura. 

O primeiro depósito (dos R$ 250 milhões) foi feito em julho- um mês após o caos. R$ 200 milhões.  O segundo depósito veio em outubro: R$ 50 milhões. 

A Coordenadoria Estadual da Defesa Civil recebeu R$ 200 milhões. Dinheiro que deveria ser para o "Restabelecimento da normalidade no cenário de desastres", segundo rubrica da União. 

Isso é o que diz o papel. Na prática, o promotor Tácito Yuri, de União dos Palmares, descobriu que parte das verbas das enchentes ajudaram a abastecer campanhas eleitorais, inclusive de um deputado, cujo curral político está em União. 

O prefeito de Santana do Mundaú foi afastado do cargo. Até combustível das carreatas era bancado com verba da Prefeitura. Lembre-se: a Prefeitura de uma das cidades destruídas pelas cheias. 

Alguns bombeiros militares se envolveram ano passado em um dos maiores escândalos da instituição: o desvio de donativos das enchentes e, logo depois, em dezembro, a queima de outros donativos. Uma ação criminosa, conforme constatou o MP, levando a responsabilização do comandante do CB, Neutônio Freitas. 

Segundo o MP, ele e a direção da Defesa Civil sabiam das condições do galpão cedido pela Cooperativa dos Produtores de Açúcar e Álcool, no bairro de Jaraguá, para proteger o que seria distribuído. E poderiam ter evitado, em outubro, as chamas que voltaram a abalar parte do CB. 

Para encerrar, os moradores que perderam tudo ainda estão em barracas e comem três quentinhas por dia porque a construção de casas caminha a passos lentos, lentos demais. Apesar do Governo do Estado dizer o contrário. 

A prática mostra mais que a teoria. E a teoria do dinheiro não é conspiratória. Até onde se prove o contrário, é difícil de acreditar que os R$ 450 milhões tenham chegado às famílias que perderam tudo nas enchentes de julho.  E ajudaram a festejar em carreatas o uso de verba pública. Otensivamente alimentando a miséria dos mais miseráveis.

Por: Odilon Rios / Repórter Alagoas
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

3 comentários:

  1. realmente onde se encontra tanto dinheiro vindo de brasilia.

    ResponderExcluir
  2. Pois é cadê o dinheiro, infelizmente poucos se divertem com o dinheiro público e milhares passam muitas necessidades.

    ResponderExcluir
  3. Nossa... Cada dia nos decepcionamos mais.

    ResponderExcluir

Queridos internautas, não aceitamos em hipótese alguma comentários que ofendam a moral de ninguém, pois o portal é um espaço de informação e comunicação, a nós cabe apenas informar de um jeito honesto e igualitário para todos, obrigado pela compreensão!
Após escrever seu comentário, na opção "Comentar como:" escolha a opção NOME/URL para facilitar. Preencha só o campo NOME, escrevendo seu nome. Agradecemos o comentário!