sexta-feira, 15 de abril de 2011

Santana do Mundaú e mais 13 municípios alagoanos terão imagens de satélite

Foram capturadas imagens das cidades de Arapiraca, S. Miguel dos Campos, U. dos Palmares, Teotônio Vilela, Penedo, Santana do Mundaú, Maceió e parte do Litoral Sul

Santana do Mundaú

Técnicos da Secretaria de Estado do Planejamento e do Desenvolvimento Econômico (Seplande) e diretores da empresa Fotogeo reuniram-se nesta quinta-feira (14) para discutir o andamento da captura de imagens de satélite que vão mapear 2.341 km² do território alagoano. O projeto faz parte da implantação do Núcleo de Geoprocessamento, que tem como objetivo fornecer informações geoespaciais para apoiar o Governo nas tomadas de decisões e na melhoria do desenvolvimento das políticas públicas.

As imagens de satélite vão possibilitar uma visualização precisa da área urbana das 14 cidades mais populosas de Alagoas e da região do Litoral Sul. Elas serão disponibilizadas para órgãos da administração pública e para instituições interessadas. “O nível de precisão e detalhamento das imagens será um instrumento de grande importância para o desenvolvimento e visualização das políticas públicas e seus resultados”, detalha o diretor da Seplande, Thiago Ávila.

Todas as imagens de alta resolução serão incorporadas a um banco de dados, que será disponibilizado no portal geográfico de Alagoas, de software livre, ainda em fase de construção. Além disso, a equipe de Geoprocessamento irá possibilitar estudos e análises sobre a realidade municipal.

As imagens de satélite irão facilitar a visualização de áreas de pobreza no Estado bem como as potencialidades existentes nas proximidades, de tal forma a subsidiar ações que possam ser desenvolvidas para melhorar a qualidade de vida nessas áreas utilizando os recursos disponíveis em cada região imageada”, exemplifica o gerente da Seplande, Nayron Almeida.

O trabalho é realizado pela empresa Fotogeo, especializada em tecnologias em geoprocessamento. Com recursos garantidos pelo Banco Mundial (Bird), o projeto é dividido em duas etapas e deve ser concluído no segundo semestre deste ano. Nesta primeira fase, já foram capturadas imagens dos municípios de Arapiraca, São Miguel dos Campos, União dos Palmares, Teotônio Vilela, Penedo, Santana do Mundaú, Maceió e parte do Litoral Sul.

Captura de imagens  

As imagens das 14 cidades alagoanas são capturadas a 200 km de altitude por dois satélites em órbita, Quickbird e Worldview. Após a captura, elas passam por um tratamento de equalização, para que possam adquirir cores naturais. Em seu produto final, pode-se aproximar a imagem em uma escala de 1:2000.

Alguns fatores meteorológicos, como a presença de muitas nuvens, podem atrapalhar o processo. Por isso se faz necessário repetir o trabalho algumas vezes, até que se tenha o resultado esperado”, completa o engenheiro cartógrafo e diretor da Fotogeo, Rodrigo Costa.

Núcleo de Geoprocessamento 

Uma equipe de cerca de 20 técnicos do Estado estão sendo capacitados para lidar com as geotecnologias desde fevereiro de 2011. O curso, que terá encerramento em 28 de abril, irá possibilitar a implantação do Núcleo de Geoprocessamento em Alagoas.

Esse é um passo de extrema importância para que se possa minimizar a pobreza em nosso Estado, já que poderemos identificar as áreas de miséria e assim auxiliar o Governo a encontrar soluções”, finaliza o gerente da Seplande, Robson Brandão.

Por: Agência Alagoas
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Um comentário:

  1. Thales Pantaleãosábado, 16 abril, 2011

    Posso dizer que Alagoas e em especial Santana do Mundaú está de parabéns por ser contemplada com este projeto, estas imagens de satélite são de grande importância para inúmeras ações, entre elas o planejamento para construção de habitações em terrenos seguros. Se este projeto já estivesse completo, possivelmente não teríamos discussões sobre o melhor local para construção das casas de Santana do Mundaú.

    Estas imagens também podem ajudar aos produtores de Laranja, na elaboração de planos de ação para o desenvolvimento do setor. Estudar as formas de relevo da região, os tipos de solo, os cursos d'água, etc.

    Caso tenhamos Governantes com visão e interesse de trabalhar, eles poderão dispor de um rico material para planejamento de projetos em diversas áreas.

    ResponderExcluir

Queridos internautas, não aceitamos em hipótese alguma comentários que ofendam a moral de ninguém, pois o portal é um espaço de informação e comunicação, a nós cabe apenas informar de um jeito honesto e igualitário para todos, obrigado pela compreensão!
Após escrever seu comentário, na opção "Comentar como:" escolha a opção NOME/URL para facilitar. Preencha só o campo NOME, escrevendo seu nome. Agradecemos o comentário!