terça-feira, 9 de novembro de 2010

Governo investe na produção de laranja na Zona da Mata

Após os prejuízos decorrentes das enchentes, APL qualifica colheita para ampliar comercialização do produto

Quatro meses após as enchentes que afetaram a produção de laranja lima no Vale do Mundaú, na região da Zona da Mata, o governo de Alagoas investe no Arranjo Produtivo Local (APL) da Laranja para alavancar a comercialização do produto.

Ações como capacitações, investimentos em tecnologia, produção integrada, missões técnicas e eventos relacionados ao cultivo da fruta impulsionam a recuperação dos prejuízos sofridos pela economia local.

O APL Laranja no Vale do Mundaú abrange cinco municípios: Ibateguara, Branquinha, São José da Laje, Santana do Mundaú e União dos Palmares. Os três últimos foram os que mais sofreram os estragos das enchentes, sendo que Santana do Mundaú detém 90% da produção de laranja lima. O arranjo conta com 2.500 produtores familiares que se organizam em associações, além da Cooperativa dos Produtores de Laranja Lima (Cooplal).

As ações do APL integram o Programa de Arranjos Produtivos Locais (PAPL), coordenado pela Seplan e pelo Sebrae/AL. Até agora, foram realizadas cerca de 60 capacitações desde o ano passado.

Com a parceria entre o Arranjo e a Organização das Cooperativas Brasileiras, (OCB) através do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop), serão investidos R$ 20 mil em capacitações para o acompanhamento da Cooplal, sendo R$ 15 mil destinados ao monitoramento da cooperativa e R$ 5 mil para a promoção social dos cooperados.

Além das capacitações, outros investimentos foram feitos para alavancar a economia local na região. A aquisição de um caminhão pela Cooplal para facilitar o transporte e a distribuição de laranjas, avaliado em R$ 109 mil, favoreceu a diminuição dos gastos com o carregamento do produto.

Também houve a aquisição, por parte da cooperativa, de uma máquina beneficiadora de laranja, no valor de R$ 31 mil, comprada por meio de empréstimo da Agência de Fomento de Alagoas (Afal). A packing house, lugar onde a máquina limpa, encera e embala as frutas, foi instalada na sede da Ceasa, em Maceió.

O APL tem atuado no intuito de promover a produção integrada da laranja. Pesquisadores da Embrapa de Cruz das Almas, na Bahia, visitam periodicamente as propriedades rurais, a fim de verificar se as normas apropriadas de cultivo estão sendo cumpridas para a Implantação da Produção Integrada de Laranja Lima do Vale do Mundaú (PILL).

Devido às capacitações e investimentos em tecnologia na produção, a comercialização da laranja lima ampliou seus mercados. A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), através do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), do governo federal, beneficiou 12 projetos com a compra do produto no valor de R$1.586.630,48. Foram 363 produtores e 206.429 pessoas carentes beneficiadas neste ano.

Recentemente, produtores de laranja lima de Santana do Mundaú comercializaram 45 toneladas do produto para a empresa Citrícola Dragone Ltda, de São Paulo. O quilo da laranja foi vendido a R$ 0,40, totalizando R$ 18 mil para os produtores do APL. A negociação abriu espaço para a discussão sobre a ampliação do mercado e a necessidade de qualificação na colheita da laranja.

Também foram negociadas dez toneladas de laranja lima para o supermercado Bompreço de Recife e uma tonelada para a filial de Maceió. O produto é classificado no galpão da Ceasa, onde a Cooplal vende semanalmente 20 toneladas por R$ 7 mil.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Queridos internautas, não aceitamos em hipótese alguma comentários que ofendam a moral de ninguém, pois o portal é um espaço de informação e comunicação, a nós cabe apenas informar de um jeito honesto e igualitário para todos, obrigado pela compreensão!
Após escrever seu comentário, na opção "Comentar como:" escolha a opção NOME/URL para facilitar. Preencha só o campo NOME, escrevendo seu nome. Agradecemos o comentário!