sexta-feira, 17 de julho de 2015

Cordelista de Santana do Mundaú realiza sonho e lança livro

Cícero Manoel apresentou seu livro na Escola Manoel de Matos

"Versos de Um Cordelista" contém 10 cordéis de romance,  humor, lenda e crítica

O universitário e cordelista Cícero Manoel lançou na tarde desta sexta-feira (17) o livro “Versos de Um Cordelista” durante a apresentação de um projeto pedagógico na Escola Estadual Manoel de Matos, no Residencial Santana do Mundaú.

Após uma parceria com a Universidade Estadual de Alagoas, Uneal, o estudante de Letras conseguiu não apenas publicar seu primeiro livro, mas também o primeiro a ser publicado por um mundauense residente na cidade.

Cícero Manoel também cria ilustrações
com xilogravura para seus cordéis  
De acordo com Cícero Manoel, o livro em mãos é mais um passo em sua carreira como cordelista. “Editar e publicar um livro de cordéis é um sonho realizado, mas como sempre estamos sonhando mais alto isso se torna um passo a mais para continuar incentivando a literatura de cordel”, disse o autor.

Segundo o cordelista, o processo de edição do livro se deu a partir de sua chegada na Uneal. “Quando comecei a cursar Letras na Uneal conheci o professor Jairo Campos [reitor da universidade], que, ao ter conhecimento que eu produzia cordéis, me propôs um projeto para a edição do livro”, contou o universitário.  “Com o projeto pronto, a universidade conseguiu uma parceria com uma editora e hoje estou aqui muito feliz com o livro lançado”.

 “Não quero lucro, nem fama...”

Filho de agricultores e residente no Sítio Ilha Grande – cerca de 20 km do centro da cidade - , Cícero Manoel enfrentou várias dificuldades até chegar à universidade e publicar seu primeiro livro. Ele afirma que espera apenas o reconhecimento do seu talento. “Não quero lucro, nem fama. Eu realizo este trabalho porque gosto e amo a literatura de cordel”, disse.


Cordelista dá palestra para alunos
em União dos Palmares
[Foto: Franco Maciel]
“Não faço os cordéis esperando reconhecimento, mas é gratificante receber convites para dá palestra e ouvir comentários de quem faz a leitura dos meus cordéis”.

Cícero Manoel lembra que é o único na zona da mata alagoana que incentiva a literatura de cordel e da xilogravura, ilustração que ele mesmo produz para seus cordéis. Apesar de ser bastante conhecido na região, o cordelista confessa que sente a falta de apoio para a produção de seus cordéis.

“É impossível alguém viver [financeiramente] apenas de cordéis, pois quem trabalha com isso é porque realmente gosta e enfrenta os desafios. Sempre tenho a dificuldade de impressão e edição dos folhetos de cordéis porque não tenho patrocinador”, disse Manoel.

“Cordéis digitais”

Blog já teve mais de 18 mil visitas
O advento das redes sociais tem facilitado a vida de muita gente. O caso de Cícero Manoel não é diferente. O poeta compartilha seus cordéis em suas redes sociais o que, para ele, é uma boa oportunidade de divulgar seu trabalho. 

“Graças a esta tecnologia, hoje meus cordéis são lidos na Inglaterra, nos Estados Unidos, em Portugal”, diz entusiasmado o escritor, que mantém o blog “Meus Cordéis” com mais de 18 mil acessos. “Se não existisse esse meio de comunicação, quando que um cordelista daqui ia fazer com que seu cordel fosse lido em outro país?”, questiona.
Internautas interagem com cordelista

Cícero Manoel atribui à própria internet a extinção dos folhetos de cordéis nas feiras livres. “A vinda da internet levou embora a literatura de cordel impressa, mas é nela que encontramos uma grande ferramenta para os cordelistas. Através dela temos hoje um público bem maior. Eu, por exemplo, tenho muitos fãs e seguidores nas minhas redes sociais”, afirma.

O início

Desde seus 10 anos de idade Cícero Manoel já escrevia poemas e aos 16 anos surgiram outros escritos, que ao chegar na Escola Estadual Manoel de Matos descobriu que se tratava de cordéis.

Segundo ele, o maior incentivo para a criação de cordéis foi em sala de aula. “Foi na escola a partir de 2008 que descobri o que era cordel e comecei a escrever com o incentivo das professoras Mary, Nadja e Quitéria Calado”, lembra o poeta.

O livro
Livro apresenta cordéis e xilogravuras

“Versos de Um Cordelista” apresenta 10 cordéis de humor, romance, lenda e crítica. O prefácio foi escrito pelo professor Jairo José Campos, reitor da Universidade Estadual de Alagoas, e a apresentação pela professora Quitéria Alves Calado, diretora da Escola Estadual Manoel de Matos.

O livro custa apenas R$ 20,00 e pode ser adquirido na Colinas Revistaria, Papelaria Palmarina, no Campos V da Uneal em União dos Palmares ou com o próprio autor através do email: ciceromanoel-cordel@hotmail.com .


Por: Thiago Aquino / Mundaú Notícias Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

quinta-feira, 25 de junho de 2015

A alegria do São João e o brilho das quadrilhas juninas: uma mistura que dá certo

Quadrilhas Amantes da Cultura e Sertaneja se apresentam em Santana do Mundaú e em cidades vizinhas


Amantes da Cultura apresenta uma história de amor [Fotos: Divulgação]

O mês de junho é marcado pelas tradicionais festas juninas realizadas em todo Brasil, mas de um jeito diferente e único na região Nordeste. Histórias como as de Lampião e Maria bonita, o cangaço e a cultura nordestina ganham formas, cores e coreografias. Juntos se transformam nas famosas quadrilhas juninas. Cada uma com seu estilo próprio. Todas buscando dar o seu melhor.

Apresentação no dia 14 de junho
atraiu olhares do público
Em Santana do Mundaú, as festas juninas ganham um brilho a mais e se enchem de cores quando as quadrilhas Amantes da Cultura, do Serviço de Convivência (antigo Projovem), e a quadrilha Sertaneja, do grupo da Melhor Idade, do Centro de Referência de Assistência Social - CRAS, entram em cena. Um encontro de gerações em apresentações de tirar o fôlego.

A Amantes da Cultura é formada por 30 componentes, 04 apoios e é organizada pelo estudante Thales Ribeiro, 18. Cabe a ele a responsabilidade de criar os passos e ensiná-los. E é também dele a responsabilidade de escolher os temas da quadrilha para cada ano. 

Quadrilha Sertaneja: alegria e companheirismo
Este ano a quadrilha traz em suas apresentações a história de um casal que, separado por um acaso, sofre as consequências de um amor impossível, mas que luta até o fim para ficar junto, até que "tudo termina em uma união, movida por uma paixão, numa noite de São João nas quebradas do sertão". 

Já para quem pensa que a terceira idade é uma fase na vida na qual não se produz mais nada e é hora de descansar, precisa conhecer melhor a quadrilha Sertaneja do CRAS. Ao todo, 24 mulheres fazem parte da quadrilha e as idades são variadas. Uma mistura de alegria e muito companheirismo. 

Aparecida e Ana foram homenageadas
nas comemorações dos 55 aos de
Santana do Mundaú pela apresentação
da quadrilha da Melhor Idade
Elas não se preocupam muito em escolher um tema para apresentar ao público. Para elas, o melhor mesmo é poder esbanjar alegria em cada apresentação realizada. E quando entram em cena, parecem esquecer todos os problemas e se rendem a alegria do São João.

A quadrilha Sertaneja é orientada por Maria Aparecida e Ana Maria. Elas são orientadoras sociais e se sentem extremamente felizes ao ver o sorriso estampado no rosto de cada componente. 

Além de Santana do Mundaú, as quadrilhas se apresentam em cidades vizinhas, levando a alegria e muita descontração por onde passam.


Por: Thiago Alvino / Mundaú Notícias
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

terça-feira, 23 de junho de 2015

Roubos frequentes causam medo nos moradores de Santana do Mundaú

A violência tem tirado o clima de tranquilidade da pequena cidade do interior

Moradora fala por trás de portão sobre o medo de ser vítima da violência

Os roubos a casas e estabelecimentos comerciais estão cada vez mais comuns em Santana do Mundaú, na Zona da Mata de Alagoas. Reféns do medo, moradores e lojistas estão amedrontados e temem que a situação piore ainda mais. Em um giro pelas ruas, nossa reportagem ouviu relatos impressionantes de quem teve seus bens saqueados pela ação dos criminosos.
Após roubo, Adilson teve que
improvisar com uma televisão pequena
O motorista Adilson Clemente, 29, lembra de cada detalhe da situação de como foi encontrada a sua casa, no Residencial Santana do Mundaú, construído para as vítimas da enchente de 2010, após um arrombamento. Segundo ele, os bandidos arrobaram a porta e levaram uma televisão, produtos de uso pessoal e 70 reais em dinheiro. O crime aconteceu na última semana de maio deste ano e em plena luz do dia. 

“Tenho medo dessa violência que está ai e sinto falta de segurança aqui onde moro. Estamos inseguros e sem proteção”, desabafa. Ele lembra que os bandidos aproveitam o momento que não tem ninguém em casa.

Morador improvisa "cerca elétrica" com arame em sua casa

Na "Rua da Bala", moradores vivem
dentro de muros e portões
Outra refém do medo é a dona de casa Maria José, 55, que reside na rua batizada pelos moradores como “Rua da Bala”. Ela diz nunca ter presenciado cenas de violência, mas por medida de segurança cercou a casa onde mora com muros e portão. “Mesmo com tanta dificuldade financeira, tive que me esforçar para fazer tudo isso. Prevenir é a única alternativa”, afirma.

Pais têm medo que crianças
presenciem atos de violência
Antônio da Silva e Marcia Maria são casados e têm dois filhos, um de nove anos e outro de dois. De acordo com Antônio, no mês passado um tiroteio na rua onde eles moram, no Residencial, causou medo em todos os moradores. 

Para sua esposa Marcia, a grande preocupação é com as crianças. Márcia teme que elas possam presenciar essas cenas de violência e fiquem traumatizadas. Segundo ela, um dos filhos já tem um histórico de saúde debilitada e necessita de exames e acompanhamento médico. “Eu tenho medo deles verem uma pessoa matando outra aqui na rua e ficarem doentes por isso”, contou revoltada.

Outro morador, que não quis se identificar, disse ter visto homens encapuzados fazendo rondas pelo conjunto.

Comércio

Comerciantes estão assustados com onda de assaltos

Evertânio mostra buraco que os 
ladrões fizeram no telhado
A violência tem tomado conta de Santana do Mundaú e vem acabando com o clima de tranquilidade e sossego da pequena cidade do interior. Para os comerciantes a situação também não está nada fácil. Evertânio Nogueira é dono de uma casa de rações de animais há cerca de 8 meses e,  segundo ele, durante esse período já foi roubado duas vezes. 

Na última vez, os ladrões subiram em um poste, andaram pelo telhado, abriram um buraco e entraram pelo banheiro. Saquearam a mercadoria jogando-a, pela janela, nas margens do Rio Mundaú. Um prejuízo de cerca R$ 4.500,00, de acordo com o comerciante.

Criminosos usaram escada para
arrombar e furtar loja
Em outro caso, os ladrões entraram e reviraram os estoques de uma loja localizada bem no centro da cidade. A vítima acredita que a ação foi planejada. Os bandidos usaram uma escada para ter acesso ao estabelecimento. Um prejuízo enorme, segundo a proprietária, que infelizmente não conseguiu recuperar todo o estoque. O prejuízo foi ainda maior para o estado emocional de quem teve suas mercadorias levadas pelos criminosos. “Pedimos as autoridades competentes e aos responsáveis pela segurança que façam alguma coisa para impedir essa onda de assaltos em nossa cidade”, desabafou emocionada.

Após denúncias, há dez dias, um casal acusado de cometer diversos roubos na cidade foi preso, mas liberado por não ter sido pego em flagrante.

Medidas de segurança

Prefeito Marcelo de Souza promete
mais eficiência na Guarda Municipal
Procurado pela reportagem, o prefeito do município Marcelo de Souza lembrou que a cidade, com 11.070 habitantes, só conta com quatro policiais e informou que desde a gestão anterior foi feito o pedido de reforço policial para o município. Mas segundo ele, não teve reforço porque a quantidade de policiais no estado é insuficiente e não atende a grande demanda. Ele reconhece que não há condições do estado aumentar o efetivo pelo fato de que a maior quantidade de policias se concentra na capital.

“Enquanto o reforço não vem, a prefeitura está equipando um prédio para a Guarda Municipal que trabalhará em conjunto com a polícia fazendo a segurança tanto da parte baixa quanto da parte alta do município”, informa o gestor.

O prédio do GPM também funcionará
como sede da Guarda Municipal 
Ainda segundo o prefeito, também foi solicitada a implantação de um Grupamento da Polícia Militar, GPM, no novo conjunto, mas o Comando Geral da PM só instala outro grupamento caso exista na localidade um alto índice de violência. “O que, para o Comando, não há no residencial”, afirmou o prefeito da cidade.

Ele também falou sobre as câmeras de segurança instaladas no município que não estão funcionando. “Os técnicos fizeram uma vistoria e já foi feito o pedido das peças em Maceió. Na próxima semana todas as câmeras de segurança devem voltar a funcionar”, prometeu ele. Questionado sobre a ausência de câmeras de segurança no Residencial Santana do Mundaú, Souza afirmou que a prefeitura tem a pretensão de instalar os equipamentos, mas ainda não tem prazo para a instalação por conta da crise financeira pela qual sua gestão enfrenta.

Por: Thiago Alvino, Thiago Aquino / Mundaú Notícias
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Em Consulta Pública, Plano de Educação é aprovado sem ideologia de gênero em Santana do Mundaú

Conferência reuniu profissionais da Educação, prefeito, vereadores e representantes da sociedade civil

Propostas do Plano Municipal de Educação foram discutidas e analisadas

As metas e estratégias do documento-base do Plano Municipal de Educação - PME de Santana do Mundaú, para os próximos dez anos, foram aprovadas nesta segunda-feira (22) na Conferência com Consulta Pública promovida pela Secretaria Municipal de Educação. Profissionais da Educação, prefeito, vereadores e representantes da sociedade civil participaram da discussão e votação.
Poder Público e sociedade civil
participaram da Conferência

Entre as propostas contidas no documento do PME, que tem como objetivo garantir a todos o direito a educação nos níveis, etapas e modalidades de ensino, a mais discutida antes da aprovação dos participantes foi a da inclusão da ideologia de gênero na Educação Infantil, contida no texto original proposto pelo Governo Federal. Após vários argumentos dos participantes, essas propostas foram retiradas do Plano Municipal de Educação.  

Palestrante Ângela Ribeiro
A palestrante da Conferência foi a professora Ângela Ribeiro de  Holanda, coordenadora estadual do Plano de Educação, que defendeu a importância da elaboração do PME. Durante as apresentações das propostas pelos delegados eleitos nos grupos de estudos, foram feitas várias alterações de acordo com a necessidade da Educação no município.

De acordo com o secretário de Educação, Josafá Ferreira, foi realizado um diagnóstico da Educação de Santana do Mundaú e a construção do Plano de Educação foi feita por diversos segmentos do município. “Foi um momento ímpar, porque foi justamente uma oportunidade de discutir, discordar e aprovar metas para a Educação do nosso município, com a participação da comunidade, para a próxima década”, disse o professor.
Grupo de trabalho analisa propostas

Com a aprovação do documento-base, o Plano Municipal de Educação será encaminhado para a Câmara de Vereadores, avaliado e, com a aprovação, seguirá para o Poder Executivo, que sancionando, se tornará lei municipal.

Durante o evento, houve a apresentação da quadrilha Amantes da Cultura, do Projovem. O prefeito Marcelo de Souza; a secretária de Saúde, Silvana Gomes;  vereadores Maciel Barbosa, Egberto Batista (Tôta), Jucywaldson Pantaleão (Jú), José Alves (Genor); o presidente do Conselho Tutelar, Ivanildo Marcolino; e representantes de instituições religiosas também marcaram presença. 


Por: Thiago Aquino / Mundaú Notícias
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...